sábado, 23 de agosto de 2014

Carta de amigo

Calma, amigo! Respira só mais um pouco, antes de submergir.
Não se afogue.. Deixa eu te falar!
Esse mar fica até melhor sem sal.
Algumas relações a gente costura, outras só gruda com cola quente.
Marcas, qualquer um, com mais de vinte anos, possui uma coleção.
Quantos amores eternos você já viu acabar? Quantas vezes um sonho seu se quebrou?
Todo mundo sangra, todo mundo caga, todo mundo erra, todo mundo sara.
As imagens não vão ficar pra sempre distorcidas...
Deixa o tempo mertiolatar os joelhos ralados da sua alma. Fica de pé!
Dê vivas e seja grato às tranças que Jah faz, que ele gosta mesmo é de um planeta nagô, com todo mundo entrelaçado.
Cada um possui  algo de impressionante para ofertar  pra outro alguém. Tratemos de nos estudar pra ensinar coisas melhores!
Olha na cara do seu monstro, segura a juba do seu leão, olhando no fundo dos olhos.
A chance de ser o herói de si, é dada na mesma medida do drik dos infernos: covardia e preguiça num copo de nada.
E por falar em nada,  respira só mais um pouco, antes de submergir!
Estufe seu peito, deixa seu eu tomar o espaço merecido dentro de seu corpo cansado. Ele deve estar exausto também.
Receba-se! Abra as portas de si para si! Ofereça-se todos os cuidados, como se fosse a visita mais ilustre.
Somos nós que enxugamos nossas lágrimas, no final das contas. Cada um sabe a própria cota de irrigação.

Ah, uma ultima sugestão!
Tente manter o seu foco de visão em  sua própria história, que não vale de nada viver se você não for o protagonista dela.

Bom mergulho!

CANÇÃO PARA OS CACHORROS


Cachorro leproso, é contagioso
Cachorro perdido, caso resolvido
Cachorro encontrado, cretino, viado!
Cachorro fudido, humor deglutido
Cachorro que arde, perdeu uma parte
Cachorro do bem, que bom, diga amém
Cachorro com sarna, cuidado que é karma
Cachorro maluco, oxi Pernambuco
Cachorro confuso, que é de fácil uso
Cachorro cansado, festejo  emprestado
Cachorro que caga e a fala equipara
Cachorro invejoso, galeto gostoso.
Cachorro valente, mais bicho que gente
Cachorro que dança, caiu da mudança
Cachorro tadinho, que nem passarinho
Cachorro que é salvo, da mira, do alvo
Cachorro em risco, tudo num rabisco
Cachorro de fé, tinham dois com Noé
Cachorro que sara, que a vida é cara
Cachorro ileso, mas, sempre,  indefeso
Cachorro que é um mel, amigo, fiel
Cachorro que abraça, protege, que caça.
Cachorro que a alma, só se vê com calma


segunda-feira, 18 de agosto de 2014

FESTIVAL DAS DESVERDADES


Não sei se é porque grande parte das mulheres, de hoje, sentam em estilingues e se arremessam nas caras dos rapazes,
Se é porque o costume de meter em qualquer buraco, ao molde das cabritas e bichos das roças, se tornou padrão de felicidade
Ou se é essa atmosfera toda que faz com que não saibamos quando estamos diante de um bom homem ou uma boa mulher.
Só sei que o amor tem andado, um pouco, escasso.

Eu devo ser muito antiquada, realmente, mas pra mim é bem diferente um olhar de amigo e um flerte de pegar fogo.
Antigamente se distinguia quem nos desejava, quem estava  envolvido conosco de um brother.
Aí o amigo guarda por você paixão calada e as paixões preferem posar de amigos.
E os casais? Meu Santo Antônio, que acuda! Pra que ficarem juntos se querem ficar separados? Acho digníssimo hábitos modernos entre parceiros, adoro as liberdades acordadas, mas o que eu vejo é só hipocrisia mascarada de educação e sentimentos todos enrolados.
No festival do chifre, não é possível que eles pensem que a ciranda não pega mal.   

Eu não sou desse planeta mesmo! Tô mesclando, na minha cabeça, Raul com cantiga popular:

Oh! Oh! Seu Moço
Do disco voador
Eu não sou daqui... marinheiro só!

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

PROFISSÃO DE FÉ


Como é que eu vou me convencer de que estender a mão é dispensável? 
Irmão, que braço amputado é esse do teu coração?
Ver o desespero na tua frente e não se importar, e não ter o ímpeto imediato de interferir não é pra quem lapida a alma com o bem!
E mesmo que sigamos a ideia por karmas e darmas, reencarnações, pagas da vida...
Que é isso, senhoria? Honra tuas glórias com generosidade genuína. 

Perceba o que é de escolha e o que é de ignorância.
Onde for feliz, fica. É só por isso que se vive. É na felicidade latente, de desejos bobos alcançados, que mora o regozijo e a paz.

Mas se ver, diante do teu olhar a tragédia de uma alma boa, anunciada, ou o caminho inseguro de um amigo, não se poupe no seu "spa" de egoísmo

Desnecessário é deixar passar a chance de fazer uma bondade genuína, pois elas resplandecem, como estrelas. Como a alma de cada ser deveria ser.

Se busca ser luz, não veja a escuridão sem fazer algum trabalho!

às vezes a gente se sente como uma menina, de cidade pequena,
observando... por quem suspira,
levar outra moça na garupa da bicicleta